Sala D. Maria I

Este compartimento caracteriza-se pela harmonia decorativa conseguida pela articulação de silhares de azulejos polícromos com chinoiseries e pintura ornamental de delicado gosto Neoclássico, distintivo do reinado de D. Maria I (1777-1816), figurando urnas, troféus e grinaldas em torno de uma composição central de temática mitológica de onde pende um imponente lustre de saco em cristal e bronze dourado. O mobiliário que aqui se expõe segue idêntica gramática decorativa e nele sobressai uma mesa de apoio executada por José Aniceto Raposo, com grande apuramento das técnicas de folheado, marchetado e embutido, ou uma secretária com alçado com portas envidraçadas, ambas as peças de influência inglesa. As cadeiras de braços seguem já o modelo dos assentos Luís XVI franceses, mostrando bem a dicotomia da influência estrangeira no mobiliário português da segunda metade de Setecentos. Multiplicam a luz e a profundidade do espaço os espelhos de três tremós, móveis de aparato por excelência, de grande presença decorativa, um dos quais com profuso trabalho entalhado.

Entre as pinturas que decoram as paredes destacam-se dois guaches executados por Alexandre-Jean Nöel, artista francês que exerceu actividade em Portugal onde deixou diversas paisagens e marinhas. Representam duas largas e pormenorizadas vistas dos lados Oriente e Ocidente de Lisboa, tomadas a partir de margem sul do rio Tejo.

Partilhe
Sala D. Maria I