Sala das Vitrinas

O nome conferido a esta sala deve-se à existência de duas vitrinas integradas numa parede que expõem parte significativa da colecção de faianças do Museu, onde se encontram representados os principais centros de fabrico dos séculos XVIII e XIX, de norte a sul do País, tais como Viana do Castelo, Miragaia, Massarelos sem esquecer a Real Fábrica do Rato de Lisboa, com admiráveis exemplares dos seus diferentes períodos. Entre o mobiliário, merece especial atenção um grande armário-copeiro em castanho entalhado da segunda metade do século XVII, revestido com pintura de chinoiseries, e um conjunto de canapé e duas cadeiras de braços em pau-santo, peças de notável qualidade pela excelência da concepção e pela técnica construtiva, em que a talha do período de D. José se afirma num Rococó fervilhante mas disciplinado, organizado simetricamente. Ladeiam o canapé dois imponentes jarrões em porcelana da China decorados com esmaltes polícromos da “família rosa”, com um casal de fénix, ramos e flores de macieira e três grandes peónias. Motivos semelhantes surgem no pano de armar que encima o canapé e o par de jarrões, trabalho possivelmente português de influência oriental onde o “horror ao vazio” da intrincada composição desafia o visitante à permanente descoberta de novos elementos decorativos.

Partilhe
Sala das Vitrinas